terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Projeto da turma do I Período Integral.

PROJETO: EU E VOCÊ, VOCÊ E EU. SOMOS DIFERENTES, E DAÍ?


Turma: I Período Integral.

Professoras: Andréia e Diana.

Justificativa:

     Perante a diversidade cultural podemos perceber cada vez mais crianças de diversas origens em sala, sendo que algumas já trazem preconceitos de casa, discriminando os amigos por possuírem características diferentes das suas. Com esse projeto, queremos abordar algumas diferenças entre as crianças, mostrando que mesmo diferentes todos devem ser respeitados e podem ser amigos.
     Observando a turma do 1º Período Integral percebemos a necessidade de trabalhar este tema, pois este ano recebemos uma criança com Síndrome de Down, que despertou a curiosidade do grupo, por ela possuir algumas características que a diferenciam das demais.
     Então surgiram algumas dúvidas sobre como trabalhar com as crianças as diferenças e as deficiências, pois sabe-se que a política de inclusão educacional traz benefícios para todos, mas também lança novos desafios para as instituições, professores e sociedade.

"Considerava-se que a deficiência era um problema que estava na pessoa e, portanto, era a pessoa que precisava ser modificada (habilitada, reabilitada, educada) para tornar-se apta a satisfazer os padrões aceitos no meio social (família, escola, emprego, ambiente). Quem não estivesse pronto para ingressar imediatamente na escola, precisava ser “preparado”, por uma classe especial ou escola especial, até ser considerado aceitável. A partir dos anos 80, esse modelo começou a ser questionado. Já nos anos noventa, estava consolidado o novo conceito proposto: o da inclusão (GIL, 2005, p.30)".

    Iniciaremos o projeto abordando as diversas etnias existentes na sala, pesquisando a origem do sobrenome de cada criança, ressaltando a cultura, folclore, curiosidades, gastronomia, enfim informações interessantes sobre os países, de acordo com a origem do sobrenome.
     Após realizada esta primeira etapa, daremos ênfase aos cinco sentidos, destacando algumas deficiências que comprometem o uso dos sentidos como a deficiência auditiva, visual ou física. Em seguida, abordaremos sobre os portadores de Síndrome de Down, Autismo, entre outros, baseando o trabalho em entrevistas, reportagens, materiais diversos e visitas de estudo.
     Também iremos conhecer com a turma as profissões das pessoas que atendem as crianças e pessoas com deficiência.
     Buscamos conscientizar as crianças de que todos somos diferentes uns dos outros e que precisamos respeitar e ser respeitados como seres únicos e com características próprias.


Situação Problema: Como as crianças percebem as diferenças entre os integrantes do grupo de uma forma otimizadora ou discriminadora? E de que forma podemos contribuir para o respeito das diferenças entre os indivíduos?


Objetivo geral:

- Despertar uma consciência de respeito a todas as pessoas, bem como às características próprias de cada indivíduo, suas necessidades e conquistas.
 
 
Culminância do projeto: Será realizada através da produção de um vídeo com as fotos das atividades e produções das crianças e chamaremos as famílias no CEI para assistirem esta apresentação.



Cronograma: O ano letivo.
 
 
Avaliação: Avaliaremos os conhecimentos adquiridos pelas crianças, através das rodas de conversa, do respeito ao próximo e as diferenças entre as pessoas, demonstrados durante as mediações nas brincadeiras e nos outros momentos do dia-a-dia.



Referências:

1. GIL, Marta (coord.). Educação inclusiva: O que o professor tem a ver com isso? São Paulo 2005.


Exploração do Globo Terrestre para localizar os países de origem dos familiares das crianças da turma.

Confecção de um cartaz com pessoas com características diferentes.


Identificando os sons de olhos fechados.

Identificando os colegas de olhos fechados.

Desenhando com os olhos fechados.

Sentindo a linguagem do Braile em diversos objetos.


Brincando com bengalas...

Explorando a Linguagem Brasileira de Sinais.

Visita da Ajidev na Instituição.

Visita da Ajidev na Instituição.

Explicação sobre alguns instrumentos utilizados pelos deficientes visuais.

Explicação sobre a leitura em Braile.


Apresentação musical dos visitantes da Ajidev.




Entrevista com um motorista de ônibus (Pai do Kauan).
Brincando de soldado.

Visita ao 62º Batalhão de Infantaria de Joinville.
Conhecendo diferentes profissões.


APRESENTAÇÃO DA HISTÓRIA: NA MINHA ESCOLA TODO MUNDO É IGUAL DE ROSEANE RAMOS.





 Texto Coletivo: Tudo pode ser diferente.

Autores: Crianças do I Período Integral.

 
Nós somos diferentes, não nascemos iguais, somos diferentes, mas temos pernas iguais, muda a cor da nossa pele, tem pele que é branca e pele morena.
Temos cabelos, sendo que cada um tem a sua cor.
Temos mãos de cores e tamanhos diferentes.
A cor das bolinhas dos nossos olhos não são iguais, uns tem olhos azuis, verdes e castanhos.
A gente é diferente, por que cada um vem de um país. Algumas pessoas vieram da África, Brasil, Alemanha, Polônia e Espanha.
Os deficientes visuais usam cão guia e bengala para caminhar, régua para escreverem e lêem através do Braille que sentem pela mão.
Tem gente que usa óculos, por que não enxergam direito.
Os deficientes auditivos eles não falam com a voz e sim com gestos que fazem com as mãos. As pessoas que escutam pouco usam aparelho.
Tem crianças e adultos que usam cadeira de rodas e muletas para andar.
Tem pessoas que só tem um braço e conseguem fazer as coisas, tem pessoas que usam braços de borracha igual de boneca, tem gente que no lugar do pé tem pé de borracha.
Tem crianças que tem síndrome de Down, nós temos que dar carinho, temos que ter paciência para ele aprender a falar, correr rápido e fazer xixi no banheiro.
As pessoas não têm a mesma profissão, a profissão da criança é brincar.
Uma profissão depende da outra, cada pai tem uma profissão, o pai do Kauan veio nos visitar, dizendo que ele é motorista, dizendo que as crianças não podem por a cabeça para fora do ônibus.
Aqui no CEI também temos várias profissões: zeladoras, cozinheiras, professoras, diretoras, secretária e coordenadora pedagógica para fazer as coisas como limpar, cuidar das crianças, brincar, cozinhar, fazer atividades, textos e cuidar das coisas da secretaria.
Soldado é uma profissão, eles treinam para ir à mata, lutam para defender o país, caçam os bandidos, eles trabalham limpando o quartel, pintando, fazem exercícios para ficarem fortes, tem soldado que é médico, cozinheiro, motorista e todos eles marcham.
Então somos diferentes sim, e daí?


AVALIAÇÃO DO PROJETO


     Ao finalizar o projeto “Somos diferentes sim e Daí?”, percebemos o crescimento da turma, quanto às atitudes, pensamentos e sentimentos como respeito, tolerância e paciência perante os colegas e professoras.
     Durante o ano o relacionamento da turma se tornou mais agradável e harmonioso, com o convívio diário as crianças foram percebendo e respeitando as características pessoais de cada um, valorizando ainda mais o diálogo para resolver os conflitos que surgem no dia-a-dia.
     As crianças compreenderam que todos somos seres únicos, com diferenças que devem ser respeitadas, aceitando o outro como ele é, com suas qualidades, defeitos, habilidades, conquistas a serem feitas e aprendizagens a serem adquiridas.
     A turma, ao realizar diversas experiências puderam vivenciar as dificuldades que as pessoas com deficiências físicas encontram em seu dia-a-dia, o que contribuiu para uma maior compreensão destas deficiências.
     Pudemos perceber que as crianças não expressaram sentimentos como indiferença ou preconceito pelas diferenças dos amigos com algum tipo de deficiência, pelo contrário, se sentiam motivadas a ajudá-los e curiosos para saber um pouco mais sobre a sua deficiência. Como na ocasião da apresentação de um grupo da Ajidevi, que veio ao nosso CEI e uma criança com prótese na perna, que veio brincar conosco.
     Percebemos que oferecemos para as crianças momentos de descontração e prazer no decorrer deste projeto, propiciando novas vivências e experiências que serão de grande valia em seu presente e futuro como cidadão.



sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Exposição Pedagógica 2011.

No dia 22 de outubro de 2011 realizamos a exposição pedagógica dos trabalhos confeccionados com as turmas do CEI Castelo Branco.

Neste dia, as professoras de cada turma organizaram as salas para mostrar os projetos e atividades vivenciados com as crianças da unidade.

Turma: Berçário I.

Professoras: Cláudia, Michelli e Tânea.



Trabalhos da professora volante Elisa.


Turma: Berçário II.

Professoras: Denise, Elaine e Elisabete.




Turma: Maternal I.

Professoras: Janete, Marlise e Natália.





Turma: Maternal II.

Professoras: Lorena, Maria Cristine e Sandra.






Turma: I Período Integral.

Professoras: Andréia e Diana.



 Turma: II Período Integral.

Professoras: Débora e Giovana.










Turma: I Período Matutino e Vespertino.

Professora: Juciane.









Turma: II Período Matutino e Vespertino.

Professora: Cheila.







Reunião de Pais

No dia 11 de agosto de 2011, a turma do II Período Integral das professoras Débora e Giovana realizaram a segunda reunião de Pais do ano. Neste dia, as professoras convidaram os familiares a confeccionarem diversos brinquedos com materiais recicláveis, que seriam utilizados com as crianças na rotina da sala. Nesta data também foi apresentado o portifólio do projeto do primeiro semestre e foram entregues as avaliações individuais das crianças da turma.










Brinquedos confeccionados pelos familiares da turma.

Crianças apreciando os brinquedos confeccionados pelos familiares.

Crianças brincando com os brinquedos confeccionados pelos familiares.