terça-feira, 18 de setembro de 2012

Reunião Pedagógica do dia 26 de março de 2012

      No dia 26 de março de 2012 foi realizada a segunda reunião pedagógica do ano. Este encontro foi planejado visando discussões sobre o trabalho junto as crianças com relação a construção de limites e combinados, além de um estudo sobre a cultura afro-brasileira e africana na Educação Infantil.

      Segue abaixo a pauta da formação:
1. Palestra com a psicóloga do CEAPE sobre limites.
2. Leitura da Mensagem: Meninos de todas as cores de Luísa Tucla Soares.
3. Discussão sobre o tema: Cultura Afro-Brasileira e Africana na Educação Infantil. Inicialmente, os participantes foram divididos em quatro grupos e responderam aos questionamentos: 1) As crianças manifestam reações de preconceito? Exemplifique. 2) Ao manifestar atitudes de preconceito qual é a sua prática de intervenção? 3) Ao elaborar o seu planejamento no dia-a-dia há uma preocupação em abordar a cultura afro-brasileira e africana em suas propostas? 4) A cultura afro-brasileira e africana é abordada nas atividades do cotidiano? 5) Ao observar a organização da sua sala há materiais de referência da cultura afro-brasileira e africana (cartazes, livros, revistas, brinquedos e outros)?
4. Sessão de vídeo: Vista a minha pele.
5. Leitura do texto: O privilégio de ser branco: ao vivo e em cores de Lola Aronovich.
6. Apresentação de pesquisas no datashow sobre a discriminação racial no Brasil.
7. Discussão sobre o texto: Aprendizagem e ensino das Africanidades Brasileiras de Kabengele Munanga.
8. Elaboração de atividades sequenciadas. Os participantes serão divididos em 4 grupos, sendo que cada um irá elaborar uma sequência didática sobre a cultura afro-brasileira e africana na educação infantil sendo 1) arte; 2) música/dança; 3) literatura; 4) comidas, durante este momento serão disponibilizados diversos recursos para auxiliar as professoras.
9. Apresentação de algumas sugestões para serem trabalhadas com as crianças sobre a cultura afro-brasileira e africana e a diversidade na educação infantil.


Mensagem: Meninos de todas as cores de Luísa Ducla Soares.

      Era uma vez um menino branco chamado Miguel, que vivia numa terra de meninos brancos e dizia: É bom ser branco porque é branco o açúcar, tão doce, porque é branco o leite, tão saboroso, porque é branca a neve, tão linda.
      Mas, certo dia, o menino partiu numa grande viagem e chegou a uma terra onde todos os meninos eram amarelos. Arranjou uma amiga chamada Flor de Lótus, que, como todos os meninos amarelos, dizia: É bom ser amarelo porque é amarelo o Sol, é amarelo o girassol mais a areia da praia.
      O menino branco meteu-se num barco para continuar a sua viagem e parou numa terra onde todos os meninos eram pretos. Fez-se amigo de um pequeno caçador chamado Lumumba que, como os outros meninos pretos, dizia: É bom ser preto como a noite, preto como as azeitonas, preto como as estradas que nos levam para toda a parte.
      O menino branco entrou depois num avião, que só parou numa terra onde todos os meninos são vermelhos. Escolheu para brincar um menino índio chamado Pena de Águia. E o menino vermelho dizia: É bom ser vermelho da cor das fogueiras, da cor das cerejas e da cor do sangue bem encarnado.
      O menino branco foi correndo mundo até uma terra onde todos os meninos são castanhos. Aí fazia corridas de camelo com um menino chamado Ali-Babá, que dizia: É bom ser castanho como a terra do chão, os troncos das árvores e é tão bom ser castanho como um chocolate.
      Quando o menino voltou à sua terra de meninos brancos, dizia: É bom ser branco como o açúcar, amarelo como o Sol, preto como as estradas, vermelho como as fogueiras, castanho da cor do chocolate. Enquanto, na escola, os meninos brancos pintavam em folhas brancas desenhos de meninos brancos, ele fazia grandes rodas com meninos sorridentes de todas as cores.

Fotos da Formação

Reunião com a psicóloga







Nenhum comentário:

Postar um comentário