sábado, 8 de setembro de 2012

Participação no concurso "Águas para Sempre" da companhia "Águas de Joinville" - Parte 3

Experiência com óleo de cozinha

      No dia 11 de junho foi realizada uma experiência com óleo de cozinha com as crianças. Primeiramente, colocamos água em um vasilhame e a turma a identificou como água limpa, logo após misturamos neste líquido uma colher de óleo. Algumas crianças fizeram comentários:

Ana Júlia Teixeira disse: “A água ficou com umas bolas diferentes”.
Maitê comentou: “Essa água não dá para tomar, ela tá suja agora”.
Vitor: “O óleo está em cima da água”.
Lorena: “O óleo não mistura com a água”.

       Explicamos que o óleo, por ser um material mais denso, não se mistura com a água. Então, propomos a filtragem da água retirando este material. Primeiramente, utilizamos uma peneira, em que o óleo passou facilmente, colocamos um tecido de algodão juntamente com a peneira para realizar o mesmo processo, sendo que desta vez conseguimos filtrar um pouco de óleo, mas boa parte deste material ainda conseguiu passar pelo tecido, deixando a água imprópria para o consumo.




 
      Após esta experiência realizamos uma roda de conversa, explicando que o óleo de cozinha é altamente prejudicial ao meio ambiente, quando jogado na pia (rede de esgoto) causa entupimentos, havendo a necessidade do uso de produtos químicos tóxicos para a solução do problema, sendo que estes vão juntamente com a água do esgoto para o rio contaminando a água. Lorena comentou: “Aí o peixe morre”!
 
       Então, a professora continuou dizendo que não é somente os peixes que morrem, mas todos os seres que vivem no rio, pois o óleo gruda nas plantas, impedindo os animais de se alimentarem ou contaminando-os. Em seguida, fizemos uma proposta para as crianças conversarem com seus pais e pedirem para eles, ao invés de jogar o óleo de cozinha no ralo da pia, guardarem em garrafas pet’s para trazer para o CEI, pois levaríamos este material para uma pessoa que produz sabão caseiro, utilizando o óleo.
 
       Muitos pais aderiram a campanha, começando a separar em garrafas o óleo de cozinha usado para trazer para o CEI, outros pais já tinham tomado a iniciativa de separar o óleo e deixar em caixas coletoras espalhadas pela cidade.


 
      No dia 03 de julho trouxemos para o CEI a primeira remessa de sabão caseiro produzido com o óleo que coletamos, sendo que as crianças utilizaram a matemática para dividir o sabão em partes iguais, para que cada criança pudesse levar um pedaço de sabão para sua casa. Além disso, as crianças da turma do I Período Integral também presentearam as funcionárias da instituição com um pedaço do sabão produzido com o óleo.
 
 



 
 
 
       No dia 20 de junho realizamos uma roda de conversa com a turma do I Período Integral, relembrando a experiência com o óleo de cozinha, os danos que ele causa na natureza quando é jogado no ralo da pia, pois se não houver um sistema de tratamento de esgoto, este material se espalha nos rios, grudando nas plantas e peixes.
       Para as crianças compreenderem melhor como o óleo gruda nas plantas aquáticas, propomos a turma uma atividade com papel, água e óleo de cozinha. Primeiramente, as crianças dividiram uma folha de papel sulfite ao meio, de um lado desenharam com um cotonete molhado em água e no outro com um cotonete molhado em óleo. Durante a proposta, as crianças comentaram a sensação de desenhar com estes materiais.
       Quando a água e o óleo secaram, as crianças perceberam que o lado em que haviam desenhado com água o desenho se apagou, mas o desenho feito com óleo ficou marcado no papel. Desta forma, as crianças perceberam de que forma o óleo de cozinha gruda nos seres aquáticos dos rios e mares.
 





 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário