sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Projeto: Brincando e conhecendo o corpo humano - II Período Integral - Parte 4

MEU CORPO

      Esta proposta surgiu através da sugestão da Ana Beatriz de que o grupo desenhasse um corpo grande sobre o papel, porém ela precisaria de ajuda dos amigos para contorná-lo, então propomos que este “alguém” fosse seus familiares, assim eles ajudariam em casa também, ficaram eufóricos aceitando prontamente a proposta. Em sala contornamos os corpos das crianças e encaminhamos para as famílias completarem com as características específicas das crianças. Até as professoras participaram, sendo que as crianças contornaram os nossos corpos. Eles se divertiram porque a professora Cheila precisou de mais papel que a professora Denise.

O que a turma aprendeu:
      A turma aprendeu a valorizar a participação dos familiares no seu processo de ensino aprendizagem. Muitas crianças que não trouxeram a atividade na data marcada expressaram que a mãe não podia fazer, tinha que esperar um pouco, eles mesmos cobravam e nos explicavam a todo instante. Isto nos deixou contentes, pois observamos o interesse deles na execução desta atividade. O mesmo interesse foi observado na quadra enquanto eles exploravam livremente o giz, logo começaram a contornar os seus corpos pedindo auxílio dos colegas para acrescentarem os detalhes como o Vitor Daniel: “tem que faze o meu topete”.















CONHECENDO OS ÓRGÃOS DO CORPO HUMANO


      A Milena nos trouxe um boneco de gesso em que os órgãos que fazem parte do nosso corpo humano são retirados e colocados. Ela apresentou em roda para os colegas e eles ficaram bastante interessados questionando “o que é isso? Pra que serve isso? Onde fica na gente?”. As professoras mostraram cada órgão questionando o grupo sobre o que vocês acham que ele faz? E partindo das respostas fomos intervindo para apresentá-las cientificamente de forma que compreendessem.
      Davi ao observar os músculos expressou “ai que dor” perguntamos o porquê e ele respondeu: “por que aqui é só sangue”. Então explicamos que era o músculo que estava exposto. Fomos apresentando os órgãos e relembrando suas funções e as crianças foram expressando seus aprendizados.
      Nycolas Samuel sobre o intestino: “faz a gente comer e fazer cocô”, no momento que as professoras mostraram o baço comentou que seu pai não tinha esse órgão.
      Milena sobre o estômago: “é onde fica a comida”.
      Maria Heloiza sobre o estômago: “pra deixar a comida bem”.
      Em seguida, foi proposto que eles montassem, conforme seus conhecimentos, o quebra cabeça dos órgãos. Conforme suas possibilidades e aprendizados as crianças conseguiram alcançar os objetivos propostos com esta atividade, conhecendo a importância dos órgãos para o nosso corpo.
      Em seguida as professoras solicitaram que registrassem seus conhecimentos utilizando a linguagem do desenho.

O que a turma aprendeu:

      Com esta proposta conheceram mais sobre o corpo humano e a função de cada órgão. Saber que o fígado é o único órgão que regenera novamente foi interessante para as crianças.
















CORPO HUMANO GIGANTE


      Após explorarmos com as crianças o conhecimento dos órgãos e ossos que compõem o nosso corpo, as professoras sugeriram ao grupo confeccionar junto aos seus familiares uma parte do corpo que mais agradou a cada criança.
      Depois iríamos juntá-los e construir o nosso “Corpo Humano Gigante”. As crianças escolheram cada um o que gostariam de construir, aqueles que por algum motivo não trouxeram a sua parte, oportunizamos a sua participação construindo em sala junto as professoras. Com esta proposta novamente agradecemos a colaboração dos familiares, pois vieram incríveis confecções.

O que a turma aprendeu:

      Com esta proposta a turma aprendeu um pouco mais sobre os órgãos, suas funções, relembrando os ossos, e outras crianças sugeriram em confeccionar um esqueleto completo do corpo. Assim que os familiares e crianças trouxeram suas produções para compartilhar no grupo, íamos questionando quem havia ajudado e como haviam feito.
      O Nycolas Samuel relatou que a sua mãe, quando foi em busca de sugestões para realizar a sua atividade, as pessoas lhe repassaram receitas de fígado ensopado, cozido, frito; pois não compreenderam que era a confecção de um órgão, foram muitas risadas. Já o João Pedro trouxe a sua parte e quando questionamos se eram pernas ou braços ele apontou para as pernas, e assim ele colou, mas no final da tarde quando a mãe chegou, perguntou: “mas não eram braços?”, respondemos sorrindo que agora viraram pernas conforme o João Pedro. Foi uma proposta animada.






Nenhum comentário:

Postar um comentário