terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Projeto: Um mundo de Sensações - Maternal II - Parte 2

Conversação para iniciar o projeto


     Em uma roda de conversa começamos o projeto, perguntando as crianças para que servem nossas mãos, uma vez que íamos confeccionar um móbile de texturas para que todos pudessem explorar a vontade.
    Para Thuany, as mãos servem para lavar, para pegar a areia e também para pegar qualquer coisa.
    Bianca acha que temos mãos para pegar brinquedos.
    Andrew: "As mãos servem para pegar o sabonete".
    Já para José: "Servem para chupar pirulito”.
    Cristiano: "As mãos servem para a gente colocar areia nos potinhos".
    Para o Gabriel: "As mãos servem para colocar a tinta".
    Nathan: "Para pegar o pincel".
    Matheus: "Para fazer um desenho".
    Jéssica: "Para comer o lanche".
    Emanuel: "Para pintar com tinta".
    Kezya: "Para lavar com sabonete".
 
    Quando perguntei se as mãos também serviam para fazer carinho, todos concordaram e quando perguntei se as mãos também batem, as crianças bateram palmas sorrindo e falaram: "Sim, as mãos batem palmas", gritou Matheus. Falamos que com as mãos podemos sentir todas as coisas. Sugeri que colocassem as mãos no chão e passassem devagarinho. "O chão é frio", observou Lucas Borges. E a parede? Perguntei. "A parede é lisa", afirmou Thuany. Depois, falamos sobre as pessoas que não veem com os olhos e que usam as mãos para perceberem as coisas.
    Na sequência, colocamos os cubos e as pirâmides no centro da roda. Explicamos que faríamos várias texturas diferentes e que depois de prontos os cubos e os triângulos seriam colocados na sala como móbiles na altura deles para que pudessem brincar a vontade. Eles adoraram a ideia e ficaram bem empolgados com a perspectiva de começarem a fazer as texturas. Enquanto distribuíamos os materiais as crianças iam discriminando o que era liso, áspero, leve e assim por diante.


 

 

  

  

  

  

  

  

  

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário