segunda-feira, 6 de março de 2017

Informativo do Berçário I

Março de 2017/ n.01

 

Estamos iniciando o ano de 2017, com isto lançamos o informativo do Berçário I, fazendo com que haja uma aproximação entre CEI e família. Nele terá alguns textos importantes nesta faixa etária, descrição de algumas vivências que foram significativas para as crianças, além de fotos do dia a dia. Aproveite este momento.

Neste primeiro informativo queremos abordar sobre a adaptação da criança no CEI, utilizamos alguns trechos do texto “Como fazer uma boa adaptação no Berçário”, de Fernanda Salla REVISTA NOVA ESCOLA (Agosto de 2016) nos orientando como fazer este acolhimento com a criança no Berçário.

Como fazer uma boa adaptação no Berçário


Preparação e parceria com a família são fundamentais para assegurar uma adaptação tranquila aos bebês que vão à escola pela primeira vez

Fernanda Salla
Agosto de 2016
Crianças inseguras, pais angustiados e sofrimento diante da separação iminente.     Esse não precisa ser o retrato do início dos pequenos na creche. É possível diminuir o desconforto e proporcionar uma adaptação tranquila e saudável para os bebês e sua família.
A fase de acolhimento na Educação Infantil é diferente para cada faixa etária e requer atenção redobrada com bebês de até 2 anos. 
         O primeiro passo é conhecer bem a criançada. Entender seus costumes e medos ajuda a elaborar o planejamento. "Quando percebem que o educador sabe coisas que as fazem se sentir bem, elas ficam mais calmas", diz Rosa Virgínia Pantoni, mestre em Psicologia e coordenadora de assistência social da Creche Carochinha, ligada à Universidade de São Paulo (USP).
         Antes de receber a turma, é fundamental ler com atenção todas as informações contidas na ficha de anamnese (com histórico de saúde).      
Bebês de até 10 meses estranham a escola, o modo como são colocados para dormir e a comida oferecida. É necessário prestar atenção nos aspectos sensoriais: deixar objetos pessoais, como mantinhas, chupeta e fronhas, junto ao berço ajuda na adaptação. A ausência dos pais não incomoda, mas a textura diferente do lençol do berço, a forma como são colocados para dormir, a temperatura da água do banho, sim.
         Outra estratégia para assegurar a tranquilidade é fazer um espaço para cada criança. Assim, ela entende que há um lugar coletivo, mas que também existe um cantinho só dela, com seus objetos de apego ou brinquedos. Isso faz com que se estabeleçam vínculos com o local. O choro nos momentos iniciais da separação é normal e deve passar logo, à medida que a criança percebe que é acolhida e compreendida. 
       Cabe ao educador acolher os bebês, reconhecer seus sentimentos e fortalecê-los emocionalmente.

REVISTA NOVA ESCOLA-2016

Neste período foram propostas atividades que acolhessem a criança neste novo ambiente. A seguir um vídeo com fotos do período de adaptação das crianças do Berçário I.















Com carinho professoras: Diana, Claudia e Amanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário